PUBLICIDADE TOP

Rita Cortez participa na OABRJ de evento marcado por homenagens a Marielle

O presidente da seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA), Luiz Viana Queiroz, foi empossado como membro efetivo do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), na sessão ordinária desta quarta-feira (14/3), pelo presidente nacional, Técio Lins e Silva, que também deu posse aos advogados Osvaldo Sirota Rotbande, ex-presidente da Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (Abrat), e Alessandra Balestieri. Estavam presentes membros da Diretoria da OAB-BA, o presidente da OABRJ, Felipe Santa Cruz, e o conselheiro federal pela OABRJ Carlos Roberto de Siqueira Castro.

“Não há uma única sessão em que não ingressem novos consócios, o que demonstra a vitalidade do IAB em seus 175 anos de existência”, afirmou Técio Lins e Silva. A respeito de Luiz Viana Queiroz, Técio, que o indicou ao Instituto, disse: “Trata-se de um advogado combativo. Sou testemunha do rigor da sua atividade em defesa da advocacia”. Na saudação ao novo consócio, o presidente falou também da dedicação do advogado à cultura baiana, com destaque para as ações junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Técio ressaltou, ainda, a iniciativa de Luiz Viana Queiroz de encomendar um busto de Montezuma, fundador do IAB e natural da Bahia, e colocá-lo na sede da OAB-BA.

Descendente de ex-governadores – Nascido no Rio, o advogado foi ainda criança, conforme suas palavras, para a “terra dos orixás”. Descendente de dois ex-governadores da Bahia, o bisavô Luiz Viana, que administrou o estado de 1896 a 1990, e o avô Luiz Viana Filho (1967/1971), o novo consócio está no segundo mandato consecutivo como presidente da OAB-BA. É procurador do Estado, advogado eleitoralista, professor de Direito Civil, Eleitoral e Constitucional e integrará a Comissão de Direito Constitucional do IAB.

“É com espanto e imensa honra que este advogado de província ingressa nesta Instituição bicentenária, de notória importância para o ordenamento jurídico do País, sobretudo neste momento em que o Judiciário não tem imposto os limites do devido processo legal, do contraditório e da ampla defesa às ações de combate à corrupção”, afirmou Luiz Viana Queiroz. Ele fez questão de registrar a presença da mulher, a psicóloga Elsa de Mattos: “A minha vida pode ser definida como antes e depois de ter conhecido Elsa”.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *